Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word, OpenOffice ou RTF.
  • URLs para as referências foram informadas quando possível.
  • O texto está em espaço simples; usa uma fonte de 12-pontos; emprega itálico em vez de sublinhado (exceto em endereços URL); as figuras e tabelas estão inseridas no texto, não no final do documento na forma de anexos.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.
  • Em caso de submissão a uma seção com avaliação pelos pares (ex.: artigos), as instruções disponíveis em Assegurando a avaliação pelos pares cega foram seguidas.

Diretrizes para Autores

DIRETRIZES EDITORIAIS

1.   A Revista Econômica do Nordeste (REN) publica trabalhos nas seguintes seções: artigos completos de natureza técnico-científica, revisões de literatura, opiniões (banco de ideias) e resenhas. Os trabalhos devem ser originais e inovadores sobre o tema desenvolvimento regional: 

a)    Artigos científicos: devem ser originais, com solidez metodológica, relevantes, adotem dados confiáveis, divulguem resultados de pesquisa, usem fontes atualizadas, estejam em conformidade com padrões éticos de pesquisa etc. Podem ser apresentados em língua portuguesa, inglesa ou espanhola. À REN é facultada a decisão de também publicar a tradução dos artigos (português), na versão impressa da Revista, sem ônus para o (s) autor (es). O processo de seleção compreende três etapas:

i.      A primeira etapa é de responsabilidade do Comitê Editorial e consiste na avaliação do texto submetido quanto ao seu potencial de publicação, aos aspectos formais e à sua compatibilidade com a orientação editorial da Revista. Não atendendo a estes requisitos preliminares, o texto será devolvido ao(s) autor(es).

Nota: cabe ao Comitê Editorial o direito discricionário de aceitar ou de rejeitar o artigo.

ii.     A segunda etapa, vencida a primeira, consiste na avaliação do trabalho por três consultores especialistas Ad hoc, pertencentes ao quadro permanente da Revista ou convidados pelo Comitê Editorial. O Comitê encaminhará o artigo por sistema eletrônico para avaliação cega (blind review).

iii.    A etapa três compreende a deliberação do Comitê Editorial, de forma independente, final e definitiva, após emissão de parecer dos consultores Ad hoc.

Nota: cabe ao Comitê Editorial o direito discricionário de decidir sobre a publicação dos artigos, independentemente da opinião dos consultores Ad hoc, cujo papel destes é consultivo.

b)    Revisões de literatura: serão publicadas somente em suplemento especial por demanda do próprio Comitê ou quando o conteúdo apresentar uma visão nova e profunda sobre um assunto relevante e novos conceitos/encaminhamentos ou novas interpretações. O Comitê Editorial avaliará o seu potencial de publicação, os aspectos formais e sua compatibilidade com a orientação editorial da Revista. Não atendendo a estes requisitos preliminares, o texto será devolvido ao(s) autor(es).

c)    Comunicações: tratam de relatos breves sobre resultados de pesquisas em andamento, que sejam relevantes e mereçam rápida divulgação. Serão aceitas somente quando os resultados apresentados sinalizarem para uma possível abrangência regional ou correspondam a avaliações metodológicas inovadoras. O Comitê Editorial avaliará o seu potencial de publicação, os aspectos formais e sua compatibilidade com a orientação editorial da Revista. Não atendendo a estes requisitos preliminares, o texto será devolvido ao(s) autor(es).

d)    Banco de ideias: devem divulgar opiniões de pesquisadores, professores, estudantes e técnicos sobre textos publicados na Revista e temas atuais da especialidade do (s) autor (es). O Comitê Editorial avaliará o seu potencial de publicação, os aspectos formais e sua compatibilidade com a orientação editorial da Revista. Não atendendo a estes requisitos preliminares, o texto será devolvido ao(s) autor(es).

e)    Resenhas: devem conter análises críticas de obras com relevância para o avanço da ciência e seus conteúdos serão avaliados para enquadramento na política editorial da Revista. Serão submetidas espontaneamente, ou encomendadas pelo Comitê Editorial e a avaliação será realizada pelo Comitê Editorial, que observará seu potencial de publicação, aspectos formais e a compatibilidade com a orientação editorial da Revista. Não atendendo a estes requisitos preliminares, o texto será devolvido ao(s) autor(es).  Não serão aceitas resenhas de obras de autoria do próprio resenhista. 

2.      A submissão de trabalhos à REN pressupõe o interesse em publicá-los nesta Revista. Assim, o(s) autor(es) compromete(m)-se em manter a exclusividade do oferecimento para publicação pelo prazo mínimo de 10 meses. Durante este período, o(s) autor(es) se compromete(m) a não oferecer o original a outro periódico ou coletânea nacional ou internacional, quer seja em parte ou em sua totalidade. Decorrido este prazo sem a manifestação da REN, o(s) autor(es) ficam liberados para submeter o artigo a outro periódico. 

3.      Os trabalhos submetidos à REN poderão ter, no máximo 5 (cinco) autores; não é permitida a inclusão de novos autores após iniciado o processo de análise dos originais.

4.      Os trabalhos em língua portuguesa aprovados para publicação, por opção do (s) autor (es) podem ser traduzidos para o inglês e publicados na versão eletrônica. Neste caso, os custos de tradução e revisão ficam a cargo do(s) autor(es).

5.      A redação se reserva o direito de introduzir alterações nos originais, visando manter a homogeneidade e a qualidade da publicação, respeitando, porém, o estilo e as opiniões dos autores. As provas tipográficas não serão enviadas aos autores. 

6.      Os autores serão notificados pelo Editor Executivo sobre eventuais sugestões de ajustes/modificações de estrutura e/ou conteúdo, feitas pelo Comitê Editorial ou consultores Ad hoc. Os textos ajustados / modificados deverão ser reenviados à Revista no prazo máximo de 30 (trinta) dias. Esgotado este prazo sem a manifestação do(s) autor(es), o artigo será excluído definitivamente da tramitação. 

7.      Ao(s) autor(es) é facultado, a qualquer momento da tramitação do trabalho submetido, o direito de informar-se sobre o estágio em que se encontra (recepção, análise, editoração). Quando houver mais de um autor, o contato durante a tramitação do trabalho acontecerá exclusivamente com o primeiro autor. É facultado à REN, resguardar o conteúdo dos pareceres dos revisores e/ou do Comitê Científico em relação aos autores dos artigos. Assim, ao enviar um artigo à REN, seu(s) autor(es) concorda(m) com esta diretriz editorial. 

8.      O Editor Executivo da Revista comunicará ao(s) autor(es), por mensagem eletrônica, a decisão final sobre a publicação ou não do trabalho submetido. 

9.      Uma vez publicado na REN, o artigo jamais será submetido pelo autor ou por demais coautores a qualquer outro periódico, sendo os direitos autorais cedidos à REN. Os autores facultam ao Banco do Nordeste do Brasil publicar seu trabalho na REN, sem retribuição financeira, em mídia impressa, digital, outro meio existente ou que venha a ser descoberto, para efeito de divulgação científica da Revista e de seu conteúdo, conforme a Lei 9.610/98. Em função de a REN ser de acesso público, os artigos são de uso gratuito. 

10.   Da mesma forma, a REN tem o direito de republicar, na íntegra, em outras edições da Revista ou em outras publicações editadas pelo Banco do Nordeste do Brasil, trabalhos já publicados ou com aceite para publicação na REN. O Editor Executivo comunicará ao(s) o(s) autor(es) com a antecedência de 30 (trinta) dias sobre a intenção da republicação. 

11.   Os trabalhos publicados estarão disponíveis gratuitamente para download na página da REN na internet no link: https://www.bnb.gov.br/revista. Podem ser reimpressos, total ou parcialmente, desde que obtida autorização expressa da direção da Revista e do(s) respectivo(s) autor(es), e que seja consignada a fonte de publicação original. 

12.   A REN publicará no máximo 2 (dois) artigos anuais por autor, seja como primeiro autor ou como coautor. Casos excepcionais passarão pela avaliação e deliberação do Comitê Editorial da Revista. 

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ORIGINAIS

 Formato

  •  Os artigos devem ser redigidos no Microsoft Word, papel A4, fonte Times New Roman 12, espaçamento simples, com margens de 2,5 cm;
  • A quantidade de laudas variará conforme: resenhas de livros, comunicações e bancos de ideias, até 4 (quatro) páginas; artigos científicos e revisões de literatura, de 10 a 20 páginas;
  • As Referências, as Citações e as Numerações Progressivas deverão seguir as normas em vigor da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Para Citações a NBR 10520 (julho de 2023); para Referências a NBR 6023 (set. 2020) e para a Numeração progressiva das seções de um documento escrito a NBR 6024 (ABNT, mar. 2012). As Tabelas devem seguir as Normas de Apresentação Tabular (1993) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

ARQUIVOS FORA DESTE FORMATO SERÃO RECUSADOS NA PRIMEIRA ETAPA, CONFORME DIRETRIZES EDITORIAIS, TENDO OS AUTORES QUE INICIAR NOVO PROCESSO DE SUBMISSÃO. Além de obedecer aos aspectos formais acima mencionados, os trabalhos devem ser apresentados conforme abaixo:

  • Resenhas de livros: título da resenha: deve refletir a ideia central da obra resenhada; referência da obra resenhada, conforme exemplo: SOBRENOME, Nome. Título do livro: subtítulo. Local da editora: editora, ano da publicação. Número de páginas. [tradutores, quando houver]. ISBN. Preço. [dados da edição original, quando se tratar de tradução]; resumo crítico da obra, explorando: assuntos e teses centrais; métodos, recursos e dados/informações utilizados; pontos positivos e negativos; contribuições para o conhecimento sobre a temática; identificação completa do resenhista: nome, titulação e filiação institucional do resenhista, incluindo endereços postal e eletrônico pessoais;
  • Bancos de ideias: expressa opiniões de pesquisadores, professores, estudantes e técnicos sobre textos publicados na Revista e temas atuais de sua especialidade. Deve conter a identificação completa do(s) autor(es) e as Citações e Referências conforme NBR 10520 e NBR 6023, respectivamente;
  • Artigos científicos, Revisões de literatura e Comunicações: Os elementos descritos a seguir são obrigatórios, devem aparecer na primeira página, separados por parágrafo, obedecendo a ordem a seguir:
  • Título em português: negrito, caixa alta, breve e suficientemente específico e descritivo;
  • Título em inglês: negrito, caixa baixa, padrão culto da língua inglesa;
  • Identificação do(s) autor(es): nome(s) completo(s), em negrito, iniciados com letra maiúscula, seguido(s) das respectivas qualificações no parágrafo seguinte, na seguinte sequência: formação acadêmica, maior titulação, lotação funcional e respectivos endereços postal e eletrônico. Regra para todos os autores;
  • Resumo: em língua portuguesa e deve contextualizar sobre o objetivo, a metodologia e resultados, em um único parágrafo, sem recuo, com máximo de 200 palavras numa sequência de frases concisas e sem citações, alinhamento justificado à esquerda e à direita e com espaçamento simples entre linhas;
  • Palavras-chave: uma única palavra, separadas por vírgula, no máximo 5 (cinco) palavras, excluídas as palavras que se repetem no título;
  • Abstract: do resumo em padrão culto da língua inglesa (não usar tradutor eletrônico) em parágrafo único, com máximo 200 palavras, alinhado justificado à esquerda e à direita com espaçamento simples entre linhas;
  • Keywords: tradução para o inglês das palavras-chave no padrão culto da língua inglesa, separadas por vírgula;
  • Introdução: sucinta, justificando em abordagem teórica o alvo do texto, terminando com o objetivo geral. Citações devem ser evitadas, salvo em casos excepcionais, indispensáveis, de alta relevância, emblemáticas e consoantes com a justificativa do trabalho;
  • Desenvolvimento: é a principal parte do artigo, devendo apresentar a fundamentação teórica, a metodologia, os resultados e a discussão, numa exposição ordenada e pormenorizada, distribuída em seções e subseções que variam de acordo com a abordagem e o(s) método(s) utilizado(s);
  • Conclusão, conclusões ou considerações finais: apresentar somente as principais conclusões em resposta às questões de pesquisa;
  • Agradecimentos: não agradecer a coautor(es) e instituições de fomento, citá-las como, por exemplo, “este trabalho foi financiado por ...”;

Outros elementos:

  • Notas de rodapé: sobrescritas, numeradas sequencialmente, fonte de tamanho 10 e espaçamento simples entre linhas;
  • Fórmulas matemáticas: digitadas na sequência do texto, editadas no editor de equações do Microsoft Word;
  • Ilustrações: qualquer tipo de imagem (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, mapas etc.) devem ser originais e com boa resolução gráfica. Imagens de pessoas devem ter autorização de imagem;
  • Tabelas, gráficos e quadros: elaborados preferencialmente no Microsoft Excel. Tabelas devem obedecer às normas de apresentação tabular em vigor da Fundação IBGE: conter um cabeçalho inscrito na parte superior, iniciando com a palavra Tabela, a qual deve ser seguida de numeração sequencial em algarismos arábicos, de travessão e do título; o título em negrito e com caixa baixa. Da origem dos dados, a Fonte, com tamanho 10, espaçamento simples entre linhas, seguida, abaixo, se for o caso, das Notas. Nos gráficos: idem; Quadros: idem;
  • Siglas: quando aparece a primeira vez no texto, a sigla, colocada entre parênteses, deve ser precedida da forma completa do nome.

Apêndice(s): elemento opcional. O(s) apêndice(s) são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos apêndices, quando esgotadas as 23 letras do alfabeto. Exemplo:

APÊNDICE A – AVALIAÇÃO NUMÉRICA DE CÉLULAS INFLAMATÓRIAS TOTAIS AOS QUATRO DIAS DE EVOLUÇÃO

APÊNDICE B – AVALIAÇÃO DE CÉLULAS MUSCULARES PRESENTES NAS CAUDAS EM REGENERAÇÃO

Anexo(s): elemento opcional. O(s) anexo(s) é (são) identificado(s) por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos anexos, quando esgotadas as 23 letras do alfabeto.

ANEXO A – REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DE CONTAGEM DE CÉLULAS INFLAMATÓRIAS PRESENTES NAS CAUDAS EM REGENERAÇÃO – GRUPO DE CONTROLE I (TEMPERATURA...)

ANEXO B – REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DE CONTAGEM DE CÉLULAS INFLAMATÓRIAS PRESENTES NAS CAUDAS EM REGENERAÇÃO – GRUPO DE CONTROLE II (TEMPERATURA...)

TÓPICOS ESPECIAIS

Citações

A exatidão e adequação das referências a trabalhos que tenham sido consultados e mencionados no texto do artigo são de responsabilidade do(s) autor. O modelo de citações da REN segue o sistema autor-data. Exemplos conforme NBR 10520 (2002) da ABNT:

Regras gerais de apresentação: nas citações, as chamadas pelo sobrenome do autor, pela instituição responsável ou título incluído na sentença devem ser em letras maiúsculas e minúsculas e, quando estiverem entre parênteses, devem ser em letras maiúsculas.

A ironia seria assim uma forma implícita de heterogeneidade de mostrada, conforme a classificação proposta por Authier-Reiriz (1982).

“Apesar das aparências, a desconstrução do logocentrismo não é uma psicanálise da filosofia [...]” (Derrida, 1967, p. 293).

A produção de lítio começa em Searles Lake, Califórnia, em 1928 (Mumford, 1949, p. 513).

Oliveira e Leonardos (1943, p. 146) dizem que a "[...] relação da série São Roque com os granitos porfiróides pequenos é muito clara."

Meyer parte de uma passagem da crônica de “14 de maio”, de A Semana: “Houve sol, e grande sol, naquele domingo de 1888, em que o Senado votou a lei, que a regente sancionou [...] (Assis, 1994, v. 3, p. 583).

As citações diretas, no texto, de até três linhas, devem estar contidas entre aspas duplas. As aspas simples são utilizadas para indicar citação no interior da citação.

Barbour (1971, p. 35) descreve: “O estudo da morfologia dos terrenos [...] ativos [...]”

“Não se mova, faça de conta que está morta.” (Clarac; Bonnin, 1985, p. 72).

Segundo Sá (1995, p. 27): “[...] por meio da mesma ‘arte de conversação’ que abrange tão extensa e significativa parte da nossa existência cotidiana [...]”

As citações diretas, no texto, com mais de três linhas, destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado e sem as aspas. No caso de documentos datilografados, deve-se observar apenas o recuo.

A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem. Tipos comuns de teleconferência incluem o uso da televisão, telefone e computador. Através de áudio-conferência, utilizando a companhia local de telefone, um sinal de áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão. (Nichols, 1993, p. 181).

Sistema autor-data

Neste sistema, a indicação da fonte é feita:

  1. Sobrenome de cada autor ou pelo nome de cada entidade responsável até o primeiro sinal de pontuação, seguido(s) da data de publicação do documento e da(s) página(s) da citação, no caso de citação direta, separados por vírgula e entre parênteses.

No texto:

A chamada “pandectística havia sido a forma particular pela qual o direito romano fora integrado no século XIX na Alemanha em particular.” (Lopes, 2000, p. 225).

Bobbio (1995, p. 30) com muita propriedade nos lembra, ao comentar esta situação, que os “juristas medievais justificaram formalmente a validade do direito romano ponderando que este era o direito do Império Romano que tinha sido reconstituído por Carlos Magno com o nome de Sacro Império Romano.”

De fato, semelhante equacionamento do problema conteria o risco de se considerar a literatura meramente como uma fonte a mais de conteúdos já previamente disponíveis, em outros lugares, para a teologia (Jossua; Metz, 1976, p. 3).

Merriam e Caffarella (1991) observam que a localização de recursos tem um papel crucial no processo de aprendizagem autodirigida.

“Comunidade tem que poder ser intercambiada em qualquer circunstância, sem quaisquer restrições estatais, pelas moedas dos outros Estados-membros.” (Comissão das Comunidades Europeias, 1992, p. 34).

O mecanismo proposto para viabilizar esta concepção é o chamado Contrato de Gestão, que conduziria à captação de recursos privados como forma de reduzir os investimentos públicos no ensino superior (Brasil, 1995).

Na lista de referências:

LOPES, J. R. de L. O Direito na História. São Paulo: Max Limonad, 2000.

JOSSUA, J. P.; METZ, J. B. Editorial: Teologia e Literatura. Concilium, Petrópolis, v. 115, n. 5, p. 2-5, 1976.

MERRIAM, S.; CAFFARELLA, R. Learning in adulthood: a comprehensive guide. San Francisco: Jossey-Bass, 1991.

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPÉIAS. A união europeia. Luxemburgo: Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias, 1992.

A primeira palavra do título seguida de reticências, no caso das obras sem indicação de autoria ou responsabilidade, seguida da data de publicação do documento e da(s) página(s) da citação, no caso de citação direta, separados por vírgula e entre parênteses. Se iniciar por artigo, ou monossílabo, este deve ser incluído na indicação da fonte.

No texto:

“As IES implementarão mecanismos democráticos, legítimos e transparentes de avaliação sistemática das suas atividades, levando em conta seus objetivos institucionais e seus compromissos para com a sociedade.” (Anteprojeto..., 1987, p. 55).

E eles disseram “globalização”, e soubemos que era assim que chamavam a ordem absurda em que dinheiro é a única pátria à qual se serve e as fronteiras se diluem, não pela fraternidade, mas pelo sangramento que engorda poderosos sem nacionalidade. (A Flor..., 1995, p. 4).

“Em Nova Londrina (PR), as crianças são levadas às lavouras a partir dos 5 anos.” (Nos canaviais..., 1995, p. 12).

Na lista de referências:

ANTEPROJETO de lei. Estudos e Debates, Brasília, DF, n. 13, p. 51-60, jan. 1987.

A FLOR Prometida. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. 4, 2 abr. 1995.

NOS CANAVIAIS, mutilação em vez de lazer e escola. O Globo, Rio de Janeiro, 16 jul. 1995. O País, p. 12.

Notas de rodapé: deve-se utilizar o sistema autor-data para as citações no texto e o numérico para notas explicativas. As notas de rodapé devem ser alinhadas, a partir da segunda linha da mesma nota, abaixo da primeira letra da primeira palavra, de forma a destacar o expoente e sem espaço entre elas e com fonte menor. Exemplos:

_________________

1Veja-se como exemplo desse tipo de abordagem o estudo de Netzer (1976).

2Encontramos esse tipo de perspectiva na 2ª parte do verbete referido na nota anterior, em grande parte do estudo de Rahner (1962).

A expressão apud – citado por, conforme, segundo – pode, também, ser usada no texto.

No texto:

Segundo Silva (1983 apud Areu, 1999, p. 3) diz ser [...]

“[...] o viés organicista da burocracia estatal e o antiliberalismo da cultura política de 1937, preservado de modo encapuçado na Carta de 1946.” (Vianna, 1986, p. 172 apud Segatto, 1995, p. 214-215).

No modelo serial de Gough (1972 apud Nardi, 1993), o ato de ler envolve um processamento serial que começa com uma fixação ocular sobre o texto, prosseguindo da esquerda para a direita de forma linear.

No rodapé da página:

_________________

1 Evans, 1987 apud Sage, 1992, p. 2-3.

Referências

Obrigatórias constituído por uma lista ordenada dos documentos efetivamente citados no texto. A elaboração das referências deve obedecer a NBR 6023 da ABNT (2002):

Monografia, livro, folheto, teses, dissertações e outros: os elementos essenciais são: autor(es), título, edição, local, editora e data de publicação. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplos:

Autor pessoal:

GOMES, L. G. F. F. Novela e sociedade no Brasil. Niterói: EdUFF, 1998.

GOMES, L. G. F. F. Novela e sociedade no Brasil. Niterói: EdUFF, 1998. 137 p. (Coleção Antropologia e Ciência Política, 15).

  • Nota: quando existirem mais de três autores, indica-se apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão et al.

URANI, A. et al. Constituição de uma matriz de contabilidade social para o Brasil. Brasília, DF: IPEA, 1994.

Autor entidade:

PERFIL da administração pública paulista. 6. ed. São Paulo: FUNDAP, 1994. 317 p. Inclui índice. ISBN 85-7285-026-0.

HOUAISS, A. (Ed.). Novo dicionário Folha Webster’s: inglês/português, português/inglês. Co-editor Ismael Cardim. São Paulo: Folha da Manhã, 1996. Edição exclusiva para o assinante da Folha de S. Paulo.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Coordenadoria de Planejamento Ambiental. Estudo de impacto ambiental – EIA, Relatório de impacto ambiental – RIMA: manual de orientação. São Paulo, 1989. 48 p. (Série Manuais).

Monografia, livro, folheto, teses, dissertações e outros em meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.): obedecer aos padrões indicados para os documentos monográficos no todo, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico.

KOOGAN, A.; HOUAISS, A. (Ed.). Enciclopédia e dicionário digital 98. Direção geral de André Koogan Breikmam. São Paulo: Delta: Estadão, 1998. 5 CD-ROM.

ALVES, C. Navio negreiro. [S.l.]: Virtual Books, 2000. Disponível em: http://www.terra.com.br/virtualbooks/freebook/port/Lport2/navionegreiro.htm. Acesso em: 10 jan. 2002, 16:30:30.

Parte de monografia, livro, folheto, teses, dissertações e outros, inclusive meio eletrônico: inclui capítulo, volume, fragmento e outras partes de uma obra, com autor(es) e/ou título próprios. Elementos essenciais: autor(es), título da parte, seguidos da expressão “In:”, e da referência completa do trabalho. No final da referência, deve-se informar a paginação ou outra forma de individualizar a parte referenciada. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência.

ROMANO, G. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G.; SCHMIDT, J. (org.). História dos jovens 2. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 7-16.

ROMANO, G. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G.; SCHMIDT, J. (org.). História dos jovens 2: a época contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 7-16.

MORFOLOGIA dos artrópodes. In: ENCICLOPÉDIA multimídia dos seres vivos. [S.l.]: Planeta DeAgostini, c1998. CD-ROM 9. POLÍTICA. In: DICIONÁRIO da língua portuguesa. Lisboa: Priberam Informática, 1998. Disponível em: http://www.priberam.pt/dlDLPO. Acesso em: 8 mar. 1999.

Publicação periódica: inclui a coleção como um todo, fascículo ou número de revista, número de jornal, caderno etc. na íntegra, e a matéria existente em um número, volume ou fascículo de periódico (artigos científicos de revistas, editoriais, matérias jornalísticas, seções, reportagens etc.).

REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Rio de Janeiro: IBGE, 1939- . Trimestral. Absorveu Boletim Geográfico, do IBGE. Índice acumulado, 1939-1983. ISSN 0034-723X.

SÃO PAULO MEDICAL JOURNAL. São Paulo: Associação Paulista de Medicina, 1941- . Bimensal. ISSN 0035-0362.

Artigo e/ou matéria de revista, boletim etc., inclusive, em meio eletrônico: inclui partes de publicações periódicas (volumes, fascículos, números especiais e suplementos, com título próprio), comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros.

COSTA, V. R. À margem da lei: o Programa Comunidade Solidária. Em Pauta: Revista da Faculdade de Serviço Social da UERJ, Rio de Janeiro, n. 12, p. 131-148, 1998.

VIEIRA, C. L.; LOPES, M. A queda do cometa. Neo Interativa, Rio de Janeiro, n. 2, inverno 1994. 1 CD-ROM.

SILVA, M. M. L. Crimes da era digital. .Net, Rio de Janeiro, nov. 1998. Seção Ponto de Vista. Disponível em: http://www.brazilnet.com.br/contexts/brasilrevistas.htm. Acesso em: 28 nov. 1998.

Artigo e/ou matéria de jornal, inclusive, em meio eletrônico: inclui comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros.

PAIVA, A. Trincheira musical: músico dá lições de cidadania em forma de samba para crianças e adolescentes. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 2, 12 jan. 2002.

SILVA, I. G. da. Pena de morte para o nascituro. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 19 set. 1998. Disponível em: http://www.providafamilia.org/pena_morte_nascituro.htm. Acesso em: 19 set. 1998.

Evento como um todo: inclui o conjunto dos documentos reunidos num produto do próprio evento.

REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUÍMICA, 20., 1997, Poços de Caldas. Química: academia, indústria, sociedade: livro de resumos. São Paulo: Sociedade Brasileira de Química, 1997.

CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPe, 1996. Disponível em: http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais.htm. Acesso em: 21 jan. 1997.

Trabalho apresentado em evento: inclui trabalhos apresentados em evento (parte do evento).

MARTIN NETO, L.; BAYER, C.; MIELNICZUK, J. Alterações qualitativas da matéria orgânica e os fatores determinantes da sua estabilidade num solo podzólico vermelho-escuro em diferentes sistemas de manejo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 26., 1997, Rio de Janeiro. Resumos... Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1997. p. 443, ref. 6-141.

GUNCHO, M. R. A educação à distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Tec Treina, 1998. 1 CD-ROM.

SILVA, R. N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na educação. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPe, 1996. Disponível em: http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais/educ/ce04.htm. Acesso em: 21 jan. 1997.

ENVIO

Os originais devem ser cadastrados na plataforma web da REN disponível em https://www.bnb.gov.br/revista/index.php/ren

Artigos

Devem ser inéditos, originais, relevantes do ponto de vista científico e com solidez metodológica. Devem divulgar resultados de pesquisa, utilizar dados confiáveis, fontes atualizadas e estar em conformidade com padrões éticos de pesquisa. Podem ser apresentados em língua portuguesa, inglesa ou espanhola. À REN é facultada a decisão de também publicar a tradução dos artigos (português), na versão impressa da Revista, sem ônus para o (s) autor (es).

Revisões de literatura

Serão publicadas somente em suplemento especial por demanda do próprio Comitê ou quando o conteúdo apresentar uma visão nova e profunda sobre um assunto relevante e novos conceitos/encaminhamentos ou novas interpretações.

Comunicações

Tratam de relatos breves sobre resultados de pesquisas em andamento, que sejam relevantes e mereçam rápida divulgação. Serão aceitos somente quando os resultados apresentados sinalizarem para uma possível abrangência regional ou correspondam a avaliações metodológicas inovadoras.

Banco de ideias

Deve divulgar opiniões de pesquisadores, professores, estudantes e técnicos sobre textos publicados na Revista e temas atuais da especialidade do (s) autor (es).

Resenhas

Devem conter análises críticas de obras com relevância para o avanço da ciência e seus conteúdos serão avaliados para enquadramento na política editorial da Revista. Serão submetidas espontaneamente, ou encomendadas pelo Comitê Editorial. Não serão aceitas resenhas de obras de autoria do próprio resenhista.

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta Revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.